13/06/2017 10h09 - Editado em 13/06/2017 16h09

Dono do Comper, Jamilson Name e primo do Senador Moka aparecem em lista da JBS

Fabiano Portilho
 

De acordo com a delação premiada de Wesley Batista, um dos donos da JBS, feita à PGR (Procuradoria-Geral da República) e homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) o "listão" de Ivanildo da Cunha Miranda apontado pelos investigadores da Lava-Jato como o gerenciador do esquema de cobrança e pagamento de propina, antecessor de André Cance na gestão André Puccinelli (PMDB) e Zeca do PT traz nomes antes "ocultados" pela IMPRENSA DE MS, como da TEC MAC, Beto Bate Forte (Comper), Luís Lemos de Souza Brito, irmão do prefeito de Bonito, Leonel Lemos de Souza Brito, o Leleco (PT do B), e de Léo de Brito - ex-presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) (Ex-Famasul) - primo do Senador Waldemir Moka (PMDB) Benedito Dias Campos (Dono da Perkal) e do presidente municipal do PDT, Jamilson Lopes Name.

Acompanhe:

Luiz Humberto Pereira, o "Beto Pereira" dono da Rede Comper fez parte juntamente com o Senador Pedro Chaves, tio de Jamilson Lopes Name do "Conselho de Notáveis do Mato Grosso do Sul", que norteou a atuação política do primeiro mandato do Governo Zeca do PT.

O famigerado conselho era composto por conhecidos sonegadores fiscais, como: O dono do Jornal "O ESTADO" e de Curtumes, Jaime Váller, o dono do Frigorifico Independência, Antonio Russo, o amigo do presidente LULA e INVESTIGADO NA LAVA JATO, José Carlos Bumlai. Compunham ainda o grupo, entre outros, Lélio Ravagnani Filho, Luis Fernando Buainain (São Bento), o Senador Pedro Chaves, Sérgio Dias Campos (PERKAL) e Valdir Zorzo (MOINHO DALLAS).

Foi justamente neste governo que foi dado o ponta-pé inicial e as MAIORES BENESSES dos INCETIVOS FISCAIS PARA O GRUPO. Sem falar que José Orcirio Miranda dos Santos é primo do Senador MOKA do PMDB.

Envie seu Comentário