29/11/2018 11h14 - Atualizado em 29/11/2018 11h14

PF cumpriu mandados no gabinete de Osmar Jerônimo no TCE e de Felix Nunes

Da Redação
 

Computadores de Lama

A Computadores de Lama decorreu da análise dos materiais já apreendidos, com resultados de fiscalizações e exames periciais. As investigações também têm como objetivo apurar desvios de recursos públicos por meio do direcionamento de licitações em contratações de serviços de informática, aquisição fictícia ou ilícita de produtos, simulação de contratos para o repasse de recursos ilícitos e utilização de "laranjas" para ocultação patrimonial.

A Justiça decretou o bloqueio de R$ 8,453 milhões do empresário João Roberto Baird, o Bil Gates Pantaneiro, de R$ 6,536 milhões de Romilton Rodrigues de Oliveira, de R$ 4,959 milhões do ex-secretário estadual adjunto de Fazenda, André Luiz Cance, e de R$ 1,916 milhão do empresário Antônio Celso Cortez.

O Juiz da 3 Vara Federal, Doutor Sócrates acatou o pedido do Ministério Público Federal e ainda determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de seis empresas. O advogado Félix Jayme Nunes da Cunha, acusado de ocultar bens e ex-sócio de André Puccinelli Júnior, é dono de três empresas atingidas pela decisão: Agropecuária Água Viva Ltda; DFX Empreendimentos, Assessoria, Consultoria e Participações; e Roncatti e Nunes da Cunha Advogados Associados.

Osmar Jerônimo

As Equipes da Polícia Federal e da Receita Federal cumprem mandados de busca e apreensão no gabinete do conselheiro do TCE (Tribunal de Conta do Estado) Osmar Jerônymo - braço direito do ex-governador André Puccinelli, preso desde julho. As ações são parte da 6ª fase da Operação Lama Asfáltica, batizada de Computadores de Lama.

Filho de Desembargador

A outra é a Fábio Leandro Advogados, do ex-procurador geral do município na gestão de Gilmar Olarte, Fábio Casto Leandro. Ele é filho do desembargador Paschoal Carmello Leandro, eleito para assumir a presidência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul no biênio 2019-2020.

Completam a lista as empresas Top Line Trading e Participações e Zetta Consultoria Tributária.

O magistrado determinou ainda a devassa nas contas bancárias e declarações fiscais de Baird, Cortez, Félix Jayme Nunes da Cunha, Romilton Oliveira, Luiz Fernando de Barros Fontelan (suposto laranja), Fábio Portela Machinsky, Emerson Rufino (dono do Supermercado Novo Rumo, em Paranhos), Fábio Leandro, Rosimeire Aparecida Lima, Ricardo Fernandes de Araújo (que assumiu as empresas Itel e Mil Tec) e Andrei Meneses Lorenzetto (filho do ex-secretário estadual de Fazenda na gestão de André, Mário Sérgio Lorenzetto).

Esta é a sexta fase da Operação Lama Asfáltica, que teria comprovado desvio de R$ 432 milhões dos cofres públicos.

Envie seu Comentário