22/12/2016 15h08 - Atualizado em 22/12/2016 15h08

Nova tarifa do transporte coletivo de Campo Grande entra em vigor

Com o aumento, Campo Grande tem a 5ª tarifa mais cara entre as capitais.

Para as linhas convencionais e distritais o valor subiu de R$ 3,25 para R$ 3,55.

As novas tarifas do transporte coletivo urbano de Campo Grande entraram em vigor nesta quinta-feira (22). Para as linhas convencionais e distritais o valor subiu de R$ 3,25 para R$ 3,55, um incremento de 9,23%. Já para as linhas executivas o valor reajustado chegou aos R$ 4,35.

Mas para os usuários, a qualidade desse serviço não mudou na mesma velocidade do preço e muitos reclamaram do reajuste. Com o aumento, Campo Grande passa a ter a quinta tarifa mais cara entre as capitais do país.

O valor da capital sul-mato-grossense só é superado pelo preço do Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP), com R$ 3,80; Porto Alegre (RS), com R$ 3,75; Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO) e Curitiba (PR), com R$ 3,70 e Cuiabá (MT), com R$ 3,60.

O transporte coletivo em Campo Grande é terceirizado. Prestam o serviço quatro empresas, integrantes do Consórcio Guaicurus. Juntas têm uma frota de 585 ônibus. A diretora-presidente da Agência de Regulação dos Serviços Públicos de Campo Grande, Ritva Garcia Vieira, diz que os veículos mais antigos são fiscalizados a cada 15 dias.

A prefeitura de Campo Grande já determinou que a concessionária que administra o transporte coletivo em Campo Grande retire de circulação 29 ônibus que estão há dez anos em uso. Esse é o tempo máximo que os veículos poder circular pelas ruas da cidade.

A direção do consórcio diz que estes ônibus estarão sendo trocados nos próximos meses. Em relação as reclamações dos usuários, o consórcio disse que vai ser feita uma manutenção para melhorar as condições gerais dos veículos.

Serviço

Para reclamações sobre os serviços das empresas de transporte coletivo o usuário pode ligar para a Agereg pelo telefone 3314-9639 ou ainda para o Serviço de Atendimento ao Consumidor do próprio consórcio pelo telefone 0800-647-0060.

Fonte: G1