Sem espaço adequado, PF transfere presos da Lama Asfáltica para delegacias

11/05/2016 16h28 - Atualizado em 11/05/2016 16h28

Sem espaço adequado, PF transfere presos da Lama Asfáltica para delegacias

A esposa de Edson Giroto ficará no Presídio Militar

Sem ter como manter os 15 presos na segunda fase da Operação Lama Asfáltica, chamada de Fazendas de Lama, a Polícia Federal encaminhará os investigados para delegacias da Policia Civil de Campo Grande.

Os integrantes do grupo criminoso, como foram denominados pela polícia, foram detidos nesta terça-feira (10) em virtude a mandados de prisões temporárias. Por lei, os presos durante a operação não podem permanecer na mesma cela que outros internos, nem juntos, o último para evitar que se comuniquem.

Segundo informações da advogada de defesa de Edson e Raquel Giroto, Kenia Fontoura, os homens serão encaminhados para celas na Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico). Já as mulheres devem ser transferidas para a 3ª Delegacia de Polícia Civil.

A única exceção é esposa de Giroto, que por ser advogada ficará em uma sala especial da Companhia Independente de Polícia Militar de Guarda e Escolta, no Presídio Militar. Rachel Giroto é presidente do PR Mulher e chegou a se cotada para disputar as eleições proporcionais de 2016.

Ainda de acordo com a advogada, a defesa do casal já esta preparando uma liminar para pedir a liberação dos clientes. O único que permanece na Polícia Federal é o comerciante de Rio Negro, Evaldo Furrer Matos, que segundo o advogado Marcos Ferreira, acabou de prestar depoimento.

Nesta manhã foram presos: Edson Giroto, André Luis Cance, João Amorim, Flavio Henrique Garcia, Ana Paula Amorim Dolzan, Ana Lúcia Amorim, Renata Amorim Agnoletto, Rachel Giroto, Wilson Roberto Mariano de Oliveira, Mariane Mariano de Oliveira, Ana Cristina Pereira da Silva, Maria Casanova, Helio Yudi Komiama, Evaldo Furrer Matos e Elza Cristina Araujo.