15/08/2018 14h57 - Atualizado em 15/08/2018 14h57

Advogado de Odilon que processa Grupo G7 é investigado na LAVA JATO e na Operação Registro Espúrio da Policia Federal

Fabiano Portilho
 

Natural de Goiãnia (GO) e tido como peça fundamental no tabuleiro em MS de Carlinhos Cachoeira, o maior bicheiro e contraventor do País e que foi preso pela Policia Federal várias vezes, o ex-superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul (MTE-MS) e que exerce cargo em comissão na prefeitura de Campo Grande desde 1° de janeiro, na Fundação Social do Trabalho, na Capital e que defende o pré-candidato a governo, Odilon de Oliveira (PDT), Yves Drosghic é investigado na Lava Jato por receber dinheiro irregular ou seja propina mascara em forma de doação eleitoral na campanha de 2014.

Conforme investigação da Força-Tarefa da Lava Jato em Curitiba, em 2014, o advogado que foi candidato a deputado federal recebeu doação da empresa UTC Engenharia S/A no valor de R$ 100 mil para a campanha eleitoral, sendo que naquele ano, recebeu, ao todo, R$ 382 mil em doações. A empresa é investigada pela Polícia Federal, suspeita de participar no maior esquema de lavagem de dinheiro do país, e uma das citadas na Operação Lava Jato.

A UTC fez doação para financiar a campanha do advogado, que disputou as eleições em 2014, onde concorreu a vaga de deputado federal pelo Estado, representando o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Apesar de não ter sido eleito, Yves foi indicado à vaga do Ministério do Trabalho e Emprego pelo deputado federal Dagoberto Nogueira, do mesmo partido, devido a cota que a legenda possuía no governo.

Além da UTC, Yves também recebeu do BTG Pactual de André Esteves preso na Operação Lava Jato juntamente com o ex-senador Delcidio do Amaral

Yves entra na mira da Operação Espúrio da Policia Federal

Assim como o ministro Carlos Marun (Governo) entrou na mira de investigadores da Polícia Federal na Operação Registro Espúrio, que apura a suposta ação de uma organização criminosa especializada em fraudar registros sindicais no Ministério do Trabalho no qual sofreu cumprimento de mandados de busca e apreensão em seus respectivos, Yves está nesta linha de investigação da Policia Federal por fraudar registros sindicais e pelo fato ter sido Superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul (MTE-MS) na época.

Envie seu Comentário