Lula contra o Plano Real em 94: " Esse plano é um estelionato eleitoral"!

25/02/2014 14h36 - Atualizado em 25/02/2014 14h36

Lula contra o plano Real em 94: " Esse plano é um estelionato eleitoral"!

Fabiano Portilho
 
Lula X Plano Real Lula X Plano Real

Brasília – No dia 1º de julho de 1994, o Real passou a ser a moeda oficial brasileira. A adoção do modelo foi o mais importante passo de um plano que acabou com a hiperinflação no Brasil e criou bases que, até hoje, garantem a estabilidade da economia do país. Hoje dia (25, foi realizado uma sessão solene, no plenário do Senado, comemorativa pelas duas décadas do Real, que contou com a presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do presidente do PSDB, o senador Aécio Neves.

Antes do Real, os brasileiros tinham a inflação galopante como parte de seu cotidiano. Em 1992, a desvalorização foi superior a 1000%, o que colocou o Brasil como um dos únicos países a alcançar a marca, ao lado de Zaire, Ucrânia e Rússia.

Fernando Henrique Cardoso assumiu o Ministério da Fazenda em maio de 1993, durante o governo de Itamar Franco, e tratou a redução da inflação como uma de suas maiores prioridades. Em agosto daquele ano, lançou o cruzeiro real, resultante do “corte de três zeros” do cruzeiro, a moeda corrente até então, e que acabou sendo a base para o Plano Real.

O passo seguinte foi dado em maio de 1994, com o lançamento da Unidade Real de Valor. A URV, com patamar variável a cada dia, caiu no gosto dos brasileiros e tornou-se uma referência para diversos tipos de gastos – desde contratos grandes até despesas do dia a dia.

No dia 1º de julho, veio o real. A moeda transformou os hábitos dos brasileiros, que de uma hora para outra deixaram de fazer contas cotidianas com números milionários (o salário mínimo em julho de 1993 foi de 4.639.800,00 cruzeiros, que representava menos de 65 dólares).

A qualidade de vida e a possibilidade da realização de planejamentos aumentaram, enquanto a inflação despencou – fechou 1994 em 50%, muito distante dos três ou quatro dígitos tão comuns nos anos anteriores.

Enquanto isso, durante os meses de implantação do Plano Real, o país assistiu a uma forte oposição do PT à iniciativa. Militantes e figuras de destaque do partido consideraram o plano “eleitoreiro”. Em 1994, Aloizio Mercadante, o candidato de Lula a vice-presidente, declarou que o Real tinha como objetivo “evitar a vitória de Lula” e que “a inflação só será mantida sob controle até a eleição”.

Pois bem passado 20 anos...

Hoje o Lula e a cúpula do PT se beneficia da estabilidade econômica alcançada com o plano Real, mas quando FHC, ainda deputado federal, apresentou o plano, Lula e seus aliados foram contra. Fizeram de tudo para impedir a aprovação do plano no congresso nacional.

Mas felizmente o PT ainda não tinha maioria aquele tempo e o plano foi aprovado. Mesmo vendo os resultados positivos do plano Real Lula ainda continuava criticando e se opondo, pois sabia que com o plano indo bem ele não se elegeria. Não importava se estava sendo bom para o povo, o que importava é que ele nã se elegeria. Mesmo contra as evidências e a melhoria de vida do povo, principalmente o de baixa renda que era o mais prejudicado pela cruel inflação, Lula tentava desacreditar o plano dizendo que seria igual ao plano Collor. Hoje Lula é aliado do Collor, mas isso fica para outro vídeo.

Assista o vídeo:

Envie seu Comentário